O pé é a estrutura do corpo humano que recebe todo o nosso peso, podendo ser alvo de inúmeras patologias e lesões.

O joanete pode ter um componente genético / constitucional, mas sabemos que os sapatos altos, de bico fino são fatores que geram ou agravam deformidades na parte da frente do pé (antepé), e por isso as deformidades mais graves são mais frequentes nas mulheres.

A cirurgia de joanete é um das mais realizadas no pé. O objetivo principal do tratamento deverá ser retirar o desconforto do paciente, permitindo uma melhor acomodação nos sapatos e funcionalidade. A principal indicação de cirurgia é a dor e a dificuldade de acomodação dos pés nos sapatos. Se o paciente não tem dor ou qualquer limitação das funções habituais realizadas pelo pé, geralmente o tratamento cirúrgico não é indicado.

O ortopedista deve avaliar se aquele paciente é candidato ao tratamento conservador ou cirúrgico. Em caso de possibilidade de cirurgia é importante que a(o) paciente entenda perfeitamente os benefícios (melhora da dor, funcionalidade e estética), riscos (dor residual, recorrência, hipo ou hipercorreção, entre outros) e respeite o pós-operatório recomendado pelo médico.

Existem milhares de técnicas cirúrgicas disponíveis para o tratamento do joanete e, portanto cada médico tem uma preferência para os diferentes tipos de joanete. Existem técnicas abertas e percutâneas. Em muitas cirurgias de joanete (na maioria delas) é criada uma “fratura controlada” (osteotomia) para corrigir uma deformidade óssea, além de ser possível fazer um melhor das estruturas em volta do osso (equilíbrio muscular e tendinoso / capsular). Essas “fraturas controladas” podem ser mantidas na posição por meio de bandagens, fios (que são rotina retirados – geralmente com 3 a 5 semanas de pós operatório), parafusos ou placas e parafusos (que podem ser retirados ou não). Pode ser pedido para o paciente não pisar por determinado período, ou a depender do tipo de cirurgia e da preferência do cirurgião pode ser orientado o paciente pisar desde o primeiro dia de pós operatório.

Em caso de indicação de cirurgia em ambos os pés, temos que discutir as vantagens e desvantagens de fazer a cirurgia em um pé apenas ou em ambos.

Antes de indicar a cirurgia ou qualquer tratamento para o joanete deve ser ainda avaliado outras patologias associadas como a possibilidade de artrose (desgaste) no primeiro dedo, se o paciente tem neuromas (inflamação ou espessamento de um nervo que fica entre os dedos, podendo levar a dormência ou choque) ou metatarsalgias (dores debaixo dos dedos). Muitas vezes a queixa do paciente com joanete não é no joanete, e sim nos dedos menores.

Os resultados abaixo expostos não significam que o mesmo acontecerá com outros casos semelhantes, pois particularidades existem para cada paciente. Os exemplos aqui demonstrados visam apresentar o alcance terapêutico em determinadas patologias.

Exemplo de paciente com hálux valgus antes da cirurgia e no pós operatório.

Hálux Valgus ou Joanete | Centro Clínico Orthopectus
Hálux Valgus ou Joanete | Centro Clínico Orthopectus
 
Hálux Valgus ou Joanete | Centro Clínico Orthopectus
 

Powered by themekiller.com watchanimeonline.co